Aberto Edital para Agente de Leitura

Hoje é dia de Esquina no Pelô

Oficina de Conservação de Papel no Hansen Bahia

Improvável de volta a Salvador

Cachoeira DOC traz documentários ao interior da Bahia

I Festival de Documentários – CachoeiraDoc acontece entre 05 e 11 de novembro na Universidade do Recôncavo

Na programação estão previstas a Mostra Competitiva Nacional, a Mostra Cinema Sem Fronteiras e a mostra retrospectiva Clássicos do Cinema do Real além do Ciclo de Conferências. O festival acontece pela primeira vez e conta com o patrocínio da Secretaria de Cultura do Estado através do edital de Apoio à Realização de Mostras e Festivais Audiovisuais do IRDEB.

 

A cinematográfica cidade de Cachoeira, fundada em 1531 e localizada no Recôncavo Baiano abre as portas para o CachoeiraDoc – I Festival de Documentários que acontece na cidade com apoio da Secretaria de Cultura do Estado – SecultBA através do edital de Apoio à Realização de Mostras e Festivais Audiovisuais do Instituto de Radiodifusão do Estado da Bahia – IRDEB. O CachoeiraDoc acontece entre 05 e 11 de novembro no Centro de Artes, Humanidades e Letras da Universidade Federal do Recôncavo Baiano – UFRB com acesso gratuito.

 

“A Secretaria de Cultura do Estado se orgulha do apoio através do Fundo de Cultura para mais uma ação estruturante. Ação que vai ao encontro de nosso projeto de expansão dos recursos para outros territórios de identidade, num processo de trocas culturais para toda a região do recôncavo que poderá ver documentários importantes para a cinematografia mundial, além de recentes e premiadas produções baianas. O que é bom para Cachoeira, é bom para a Bahia. Que esta seja apenas a primeira, de muitas outras edições do CachoeiraDoc”, afirma o secretário de cultura do Estado, Márcio Meirelles.

 

A abertura começa com festa, que acontece no dia 05 de novembro, às 19h na Praça da Aclamação com projeção do documentário Nanook do Norte, filmado entre 1920 e 1921 com direção de Robert Flaherty. Na apresentação o público será presenteado com trilha sonora criada especialmente por Guilherme Maia e executada ao vivo por músicos da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal da Bahia – UFBA. Durante uma semana serão exibidos 41 filmes, entre curtas e longas-metragens, homenagens a diretores nacionais e o público poderá participar também do ciclo de conferências e oficinas.

 

“Com a criação do curso de cinema e audiovisual da Universidade do Recôncavo a cidade de Cachoeira assumiu um pouco essa vocação, então estamos tentando construir um movimento que envolve os alunos e os professores e que acontece a partir do curso. A expectativa é de poder mostrar o que tem de documentário no Brasil. Nós apostamos em filmes bons e que muitas vezes não percorrem as salas comerciais. Cachoeira, por exemplo, não tem nenhuma sala de cinema em funcionamento. Com esse festival, além de fomentar a circulação, queremos construir um espaço de debate, a partir das oficinas e dos ciclos de conferências” afirma a coordenadora e idealizadora do projeto, Amaranta César.

 

|Programação|

Mostra Competitiva – composta por 19 documentários, sendo 9 longas-metragens e 10 curtas-metragens, vindos de 7 estados do Brasil, alguns consagrados em festivais nacionais e internacionais, e exibidos pela primeira vez no interior da Bahia. Entre os inéditos estão: A Falta que você me faz, de Marília Rocha (Prêmio do Júri de Melhor Filme Latino-Americano, no Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo – Festlatino); Aeroporto, de Marcelo Pedroso (inédito no país); Peixe Pequeno, de Vincent Carelli (inédito no país); e Keny Yuxi – as voltas do Kene, de Zezinho Yube. Além disso, estão na Mostra os premiados – Bailão, de Marcelo Caetano (Melhor Curta do Cine-Pe; Melhor Curta Festival de Triunfo; e Melhor Montagem no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro; Querida Mãe, de Patricia Cornils (Melhor Curta-metragem Brasileiro no International Documentary Film Festival – É Tudo Verdade) e Terras, de Maya Da-Rin (Prêmio Las Cámaras de la Diversidad no Festival Internacional de Cine de Guadalajara, Melhor Filme, segundo o Júri ABVC e Prêmio Especial do Júri, no Panorama Internacional Coisa de Cinema, troféu Melhor Filme “Caríssima Liberdade”, na Mostra do Filme Livre do Rio de Janeiro e foi indicado para o Dirk Vandersypen Award, na Bélgica).

Mostra Sem Fronteiras – Serão exibidos filmes inéditos de importantes nomes do documentário mundial como: Por um de Meus Dois Olhos, de Avi Mograbi; Amsterdã Aldeia Global, de Johan van der Keuken; A Ferida, de Nichloas Klotz, No Quarto da Vanda e Juventude em Marcha, de Pedro Costa.

Mostra Clássicos do Real – O CachoeiraDoc homenageará, nesta primeira edição, o premiado cineasta Geraldo Sarno, com a exibição dos filmes Viramundo, Viva Cariri e Eu Carrego um Sertão Dentro de Mim. Além disso, ele traz seu mais novo filme, inédito na Bahia, O Último Romance de Balzac, que mescla documentário e ficção para apresentar um estudo sobre a veracidade de um suposto romance do escritor Honoré de Balzac, psicografado por Waldo Vieira, que trabalhava com Chico Xavier. O diretor estará presente no festival ministrando a oficina A Criação no Cinema, que tem como principal objetivo estimular a busca por processos próprios de criação, discutindo questões como: a linguagem audiovisual e sua importância no mundo contemporâneo, a criação de composições audiovisuais, e a maneira como a expressão audiovisual se manifesta em outras atividades artísticas, especialmente no romance, na poesia, no teatro.

O Festival terá a presença de outros importantes diretores do cinema nacional como Vincent Carelli, que mostrará seu premiado filme Corumbiara, premiado na categoria melhor filme no IV Festival de Cinema Latino Americano de São Paulo, Menção Honrosa – É Tudo Verdade, Melhor Documentário – 19º Festival Présence Autochtone (Canadá) e Prêmio OCIC (Office Catholique International du Cinéma) – 14ª Mostra Internacional do Filme Etnográfico.

No encerramento, o cineasta Ricardo Calil traz o premiado Uma Noite em 67, um convite para viver a final do Festival da Record que mudou os rumos da MPB. No teatro: aplausos, vaias, um violão quebrado, guitarras estridentes. No palco: os jovens Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Roberto Carlos, Edu Lobo e Sérgio Ricardo. As músicas: “Roda Viva”, “Ponteio”, “Alegria, Alegria”, “Domingo no Parque”. E só um deles sairia vencedor. O filme recebeu o prêmio de Melhor Documentário no Festival de Cinema Brasileiro de Israel.

Dentro da programação do festival acontecerão as Mostras Paralelas Bahia e Recôncavo, que traz o melhor da produção documental do estado e filmes produzidos no ou sobre o Recôncavo Baiano, respectivamente. O Ciclo de Conferências que propõe uma reflexão sobre as questões éticas, estéticas e políticas que atravessam o documentário, com a presença de pesquisadores, críticos e realizadores brasileiro, debatendo temas como Cinema e Educação, Documentário e Formas de Vida, Os Povos Indígenas no Documentário Brasileiro, e Música e Invenção do Documentário.

O CachoeiraDoc também oferecerá oficinas gratuitas para professores de ensino médio com os temas: O audiovisual em sala de aula e Vídeo com celular. As inscrições são feitas pelo e-mail contato@cachoeiradoc.com.br.

O I Festival de Documentário de Cachoeira – CachoeiraDoc é uma realização do Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Grupos de Estudos e Práticas em Documentário e Ritos Produções e conta com apoio financeiro da Secretaria de Cultura do Estado através do edital de Apoio à Realização de Mostras e Festivais Audiovisuais do IRDEB.

Serviço

O quê: I Festival de Documentário de Cachoeira – CachoeiraDoc

Local: Cachoeira (BA), no Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB).

Data: 05 a 11 de novembro

Horário: das 11h às 20h

Gratuito

 

 

Mais informações:

http://www.cachoeiradoc.com.br/sessoes-especiais.html

 

 

Carreto hoje no Semcine