Lançamento da biografia de Manuel Quirino

Manuel Querino entre letras e lutas – Bahia 1851-1923, da autoria de Maria das Graças de Andrade Leal, foi editado pelaAnnablume/Uneb e será lançado na cidade do Salvador no dia 13 de maio próximo na Biblioteca Pública do Estado da Bahia às 16:30. Este lançamento está integrando as comemorações de aniversário dos 200 anos da Biblioteca.


Neste livro, Maria das Graças Leal desenvolve um importante estudo biográfico sobre Manuel Raymundo Querino (1851-1923). A autora apresenta as várias faces deste sujeito singular e plural, ao tecer um enredo que revela a história de sujeitos incógnitos, fazendo ressoar vozes silenciadas pela historiografia tradicional. À medida que a sua trajetória é revelada, a história política e social do trabalho e da arte e a trajetória de outros homens que viveram, criaram, produziram, lutaram, puderam ser retiradas da penumbra. Uma versão da história vista pela ótica do oprimido é construída com cores, movimento, luminosidade, ao valorizar a existência de pessoas reais que enfrentaram dificuldades e conquistaram vitórias reais. Brasileiro afrodescendente, nascido em Santo Amaro da Purificação-Bahia, viveu intensamente acontecimentos significativos da história do Brasil, e da Bahia em particular, que marcaram os anos finais do Império e iniciais da República. Da sua base operária, enveredou pelo mundo da política partidária, na medida em que desenvolvia o talento de artista, diplomando-se em desenho e cursando arquitetura. No Império, militou no trabalhismo, criando a Liga Operária Bahiana e, na República, foi um dos fundadores do Partido Operário, a partir do qual foi conduzido para o cargo de Conselheiro Municipal por duas legislaturas (1891-1892 e 1897-1899). Desligando-se da política partidária, iniciou uma outra militância, ao se dedicar à produção de conhecimento e ao magistério. Pelo trabalho intelectual que produziu, Querino se consolidou na sociedade baiana, garantindo prestígio no meio intelectual e no meio operário.

Digitalizar acervos: uma estratégia para ampliar o acesso à cultura

Especialistas discutem em São Paulo estratégias para que o Brasil disponibilize com livre acesso pela internet parte de seu patrimônio cultural

Dados do Ministério da Cultura mostram que mais da metade dos municípios brasileiros não contam com nenhum centro cultural, museu, teatro, cinema ou espaço multiuso. Cerca de 60% das bibliotecas públicas e comunitárias estão concentradas em sete dos 27 estados do país. A parcela da população que nunca visitou um museu supera os 90%. Esses números revelam que grande parte do Brasil ainda vive à margem de seu próprio patrimônio cultural. Uma das saídas para mudar essa realidade é digitalizar os acervos culturais – hoje hospedados em museus, bibliotecas, cinematecas – e assim permitir que esse patrimônio circule pelo país em formato digital por meio da internet.

Tecnologias, modelos, limites e ideais de como isso deve ser feito serão discutidos por especialistas e profissionais nacionais e internacionais no Simpósio Internacional de Políticas Públicas para Acervos Digitais, a ser realizado em São Paulo de hoje,  26,  a 29 de abril, no Novotel São Paulo Jaraguá Convention (Rua Martins Fontes, 71 – Centro). Haverá transmissão pela internet, no endereço http://culturadigital.br/simposioacervosdigitais/. Organizado pelo Ministério da Cultura, pelo Projeto Brasiliana USP e pela Casa da Cultura Digital, o encontro indicará possíveis rumos para que a digitalização dos acervos culturais no Brasil seja uma estratégia eficaz para facilitar o acesso da população à cultura.

Acesso qualificado – “Um equipamento eletrônico, seja ele um leitor digital, um celular ou um computador, pode armazenar ou acessar um acervo tão rico quanto o do Real Gabinete de Leitura, da Biblioteca Nacional, ou mesmo da Cinemateca de São Paulo”, compara um dos coordenadores do simpósio, Roberto Taddei. De acordo com ele, não se trata mais de apenas publicar conteúdos apenas em sites na rede. “É preciso organizar tudo de maneira intercambiável, com acesso por meio de diferentes suportes e plataformas, de fácil indexação e consulta por parte do público”, explica o jornalista que integra a Casa da Cultura Digital.

Seis mesas temáticas discutirão as questões essenciais desse processo. A digitalização dos acervos culturais do Brasil dialoga com a reflexão sobre os limites impostos pela atual legislação do direito autoral, as novas tecnologias, os padrões e normas, assim como os caminhos para a formação de uma rede efetiva entre as instituições e os projetos já existentes.

Também são destaques da programação a presença de representantes dos grandes projetos mundiais de digitalização em curso atualmente, como Wikimedia e Gallica, da França, e a Brasiliana, da USP, que recebeu a doação do acervo do bibliófilo José Mindlin.

Políticas culturais – No momento em que o governo brasileiro estimula a discussão para uma nova lei de direito autoral e tem como prioridade a definição de um plano nacional de banda larga para o país, a discussão sobre padrões e estímulos para a digitalização e circulação de conteúdos digitalizados passa a ser fundamental no planejamento estratégico para o crescimento do país.

De acordo com o coordenador de Cultura Digital do Ministério da Cultura, José Murilo Carvalho, o MinC coloca prioridade máxima na ampliação do acesso à cultura. “Ao abordar o processo de digitalização dos acervos culturais, estamos lidando com texto, imagem, áudio, vídeo e objetos”, esclarece. “Nossa proposta é explorar os diferentes nichos técnicos envolvidos em cada mídia/suporte, mas tratando de não perder a visão geral que pode integrar ações que hoje acontecem de forma dispersa. O objetivo é promover o acesso qualificado como elemento orientador de todo o processo”, afirma o coordenador.

Programação

Segunda-feira – dia 26 de abril

14h às 17h Visita à Brasiliana USP
19h30 – Abertura – palestra com José de Oliveira Ascensão

Terça-feira – dia 27 de abril

9h às 11h30 – Mesa 1 – Grandes Projetos de Digitalização
Moderação: Abel Paker / Scielo
. Mathias Schindler / Wikimedia Foundation (Alemanha)
. Frederic Martin / Representante da Gallica Bibliotèque Numérique (França)
. Pedro Puntoni / Brasiliana USP (Brasil)

14h às 15h – Apresentação GT Áudio e GT Vídeo

15h30 às 18h – Mesa 2 – Direito à Cultura – Acesso Qualificado
Moderação: Beatriz Busaniche / Via Livre (Argentina)
. Jean-Claude Guedon / Universidade de Montreal (Canadá)
. José Murilo / MinC (Brasil)
. Evelin Heidel / Bibliofyl (Argentina)
. Pablo Ortellado / GPOPAI (Brasil)

Quarta-feira – dia 28 de abril

9h às 11h30 – Mesa 3 – Preservação (patrimônio cultural)
Moderação: Muniz Sodré / Biblioteca Nacional
. Andreas Lange / Digital Game Archive (EU)
. Carlos de Almeida Prado Bacelar / Arquivo do Estado (Brasil)
. Anne Vroegop / DISH (Holanda)

14h às 15hApresentação GT Direito Autoral

15h30 às 18h – Mesa 4 – Direitos de Autor e Diversidade Cultural
Moderação: Manoel Joaquim Pereira dos Santos
. Jeremy Malcolm / Consumers International
. Marcos Wachowicz / Universidade Federal de Santa Catarina
. Marcos Souza / Gerência de Direitos Autorais – GDA/MinC

Quinta-feira – 29 de abril

9h às 11h30 – Mesa 5 – Sustentabilidade para Ações de Digitalização
Moderação: José Luis Herência / MinC
. Paul Keller / Creative Commons (Holanda)
. Ivo Corrêa / Google América Latina
. Eliane Costa / Petrobras (Brasil)
. Instituto Moreira Salles (Brasil)

14 às 15h – Apresentação GT Texto e Imagem

15h30 às 18h – Mesa 6 – Políticas Públicas – Por um Plano Nacional
Moderação: Alfredo Manevi / MinC
. Nelson Simões / CGI.br
. José Castilho / Secretário-Executivo do PNLL
. Carlos Ditadi / Conarq (Arquivo Nacional)

18h – Encerramento

Informações para a Imprensa: (11) 8146-8180, com Erika Teixeira; ou (61) 2024-2280, com Ismália Afonso, da Ascom SPC/MinC.

Rec e Play

Nos fins de semana de abril e maio, crianças e adolescentes terão um motivo especial para visitar o Itaú Cultural: serão oferecidas oficinas de vídeo, em parceria com a Associação Cultural Kinoforum. Aos sábados, crianças de 7 a 12 anos e, aos domingos, adolescentes de 13 a 16 estão convidados a penetrar o universo criativo de Hélio Oiticica.

As oficinas, sempre entre 10h30 e 13h30, pretendem explorar de forma lúdica as relações entre as artes visuais e o audiovisual. Após estimulados pela observação e análise de obras da exposição Hélio Oiticica – Museu É o Mundo, os participantes poderão realizar experiências em filmagem e edição.

A Kinoforum é uma entidade sem fins lucrativos que se dedica a realizar atividades culturais na área cinematográfica. Realiza o Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo e as Oficinas Kinoforum de Realização e Produção Audiovisual, que percorrem várias comunidades da periferia, centro e outras regiões da capital paulista, buscando promover o contato de crianças e jovens com o audiovisual.

sábados (para crianças de 7 a 12 anos)
3, 10, 17 e 24 de abril
1, 8 e 15 de maio
entre 14h30 e 17h30
para crianças de 7 a 12 anos

domingos (para adolescentes de 13 a 16 anos)
4, 11, 18 e 25 de abril
2, 9 e 16 de maio
das 14h30 às 17h30

Itaú Cultural – Espaço Educativo 1S | Avenida Paulista 149 – Paraíso – São Paulo SP [próximo à estação Brigadeiro do metrô]
vagas 15 por turma
inscrições 11 2168 1876

Saiba mais sobre outros eventos e atividades relacionadas:

Exposição
sábado 20 de março a domingo 23 de maio de 2010
terça a sexta 9h às 20h
sábado domingo feriado 11h às 20h

atendimento educativo
visitas agendadas
grupos de 10 a 44 pessoas
duração aproximada 90 minutos [visita para público especial duração aproximada 120 minutos]
terça a sábado [diversos horários]
visitas espontâneas
grupos de até 22 pessoas
duração aproximada 60 minutos terça a domingo e feriado [diversos horários]

agendamentos e informações 11 2168 1876 [segunda a sexta 10h às 18h]

Experiência Hélio Oiticica
terça 30 de março a domingo 16 de maio

Encontros
terças e quintas, das 14h30 às 17h30
sábados, das 14h30 às 17h30
carga horária: 40 horas | com entrega de certificado

Inscrições
domingo 28 de fevereiro a sábado 20 de março de 2010
limite para entrega dos trabalhos: sábado 20 de março de 2010
informações: 11 2168 1876 | www.itaucultural.org.br | twitter.com/itaucultural

Encontro Próxima Parada: Oiticica – Artistas pelos Penetráveis da Cidade
sábado 17 de abril 10h30 às 13h30
mediação Paula Braga

Sala Itaú Cultural e espaços públicos | Avenida Paulista 149 – Paraíso – São Paulo SP [próximo à estação Brigadeiro do metrô]
inscrições 11 2168 1876 [a partir de 12 de abril]

Ações na obra Rhodislândia
Em dias específicos, artistas convidados realizam ações dentro da obra Rhodislândia [exposta no segundo subsolo do Itaú Cultural]. Sempre aos sábados e domingos, das 15h às 17h, nos seguintes finais de semana:
março: 27 e 28
abril: 10 e 11, 17 e 18, 24 e 25
maio: 1 e 2

Sala Itaú Cultural e Espaço Educativo 2S | Avenida Paulista 149 – Paraíso – São Paulo SP [próximo à estação Brigadeiro do metrô]
Informações 11 2168 1777

Seminário Hélio Oiticica – Museu É o Mundo
quarta 28 a quinta 29 de abril
organização e mediação Felipe Scovino

quarta 28
16h mesa Qual É o Lugar da Invenção de Hélio Oiticica na Crítica de Arte?
com Beatriz Scigliano, Cauê Alves, Katia Maciel e Paula Braga

19h mesa A Prática da Escrita: Um Arquivo em Constante Dobra
com Frederico Coelho, Sérgio Martins e Tânia Rivera

quinta 29
19h mesa O Hélio Plural: Os Diferentes Meios de Produção do Artista
com Andreas Valentim, César Oiticica Filho, Fernando Cocchiarale e Luciano Figueiredo

Sala Itaú Cultural | Avenida Paulista 149 – Paraíso – São Paulo SP [próximo à estação Brigadeiro do metrô]
informações 11 2168 1777

Hélio & O Trêsoitão – Fotografias de Ivan Cardoso
sábado 20 de março a sábado 24 de julho de 2010
aberto 24 horas

Paparazzi Galeria | Avenida Pedroso de Morais 99 – Pinheiros – São Paulo SP [entrada franca]
informações 11 3448 7457

Cultura Digital e Mídia Livre unem diálogos na Teia das Ações

Na primeira manhã de debates da Teia 2010, com a alteração de última hora da programação do eixo de Mídia Livre e Comunicação, na Teia das Ações, acabaram-se unindo os integrantes desta ao grupo da Cultura Digital, gerando um momento rico de troca entre as duas linguagens, que pensam e agem de forma bem semelhante, buscando atingir metas e ideais parecidos, e utilizando, basicamente, as mesmas plataformas para tal.

Entre os destaques pautados pelas discussões foi ressaltada a troca de metodologias para formação e manutenção das diversas redes criadas nas articulações dos Pontos, Pontões de Cultura e Pontos de Mídia Livre. Samir Raoni, do Pontão Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil explicou, através de uma breve dinâmica, a responsabilidade com a memória e identidade social que cada projeto, pessoa ou coletivo adquire ao trabalhar com as comunidades locais no registro de suas histórias e uso das tecnologias. “Uma rede precisa estar se movimentando unida, com todos acompanhando o que está acontecendo. E é preciso ficar atento aos que estão frágeis nesse processo, pra tentar mantê-los sempre juntos, informados e participantes”, disse Raoni.

Outra questão pontuada em vários momentos foi a necessidade de garantir a continuidade das ações ligadas ao programa Cultura Viva e endossar as políticas públicas de cultura conquistadas até agora, independente do governo atuante. “É importante pensar em como a cultura no nosso país mudou nos últimos anos, não só pelos Pontos de Cultura, mas também com a construção do Plano Nacional de Cultura”, falou Ricardo Ruiz, integrante do coletivo Nordeste Livre e do Ponto de Mídia Livre http://www.descentro.org/.

À tarde, os eixos Cultura Digital e Mídia Livre e Comunicação continuam sua programação normal, na Teia das Ações. Na Cultura Digital haverá um debate sobre a importância da inclusão deste segmento no Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC) e apresentação da nova plataforma do Fórum da Cultura Digital Brasileira. Em Mídia Livre a conversa toma os rumos das políticas públicas para comunicação e cultura, com a participação da chefe da Representação Regional Nordeste do Ministério da Cultura, Tarciana Portella, um dos representantes da Comissão Executiva da I Confecom e da II CNC, Octavio Pieranti, o coordenador do Pontão de Cultura Kuai Tema (PR), Marco “Amarelo” Konopacki”, e representando o Coletivo Intervozes, Carolina Ribeiro.

Texto: Maíra Brandão

Edital Inclusão Digital nas Comunidades

O Programa Nacional de Apoio à Inclusão Digital nas Comunidades, Telecentros.Br, lançou junto a Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, vinculada ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, o edital de seleção de propostas para instituições interessadas em apoiar a manutenção dos telecentros já existentes, ou na implantação de novos pontos junto ao Programa. As inscrições estão abertas até 23 de março. Confira o edital.

O apoio às instituições selecionadas será por meio de computadores, bolsas de auxílio financeiro a jovens monitores, formação de monitores bolsistas e não-bolsistas que atuem nos telecentros e equipamentos como cadeiras, mesas e câmeras de segurança.

Serão aceitas as propostas de telecentros que proporcionem acesso público as tecnologias de informação e comunicação, com computadores conectados com a internet, sendo a navegação livre e monitorada.

Os centros de inclusão digital em funcionamento que ainda não estão conectados à internet podem participar, desde que também ofereçam cursos e outras atividades que integrem a capacitação dos usuários. As propostas deverão ser enviadas para a Coordenação Executiva através da internet por meio do Sistema Integrado de Apoio a Telecentros (SIATC). Saiba mais

Prêmio Conexão Cultura

O Prêmio é uma iniciativa para reconhecer ações que mudaram a vida pessoal ou profissional de freqüentadores, bem como ações de melhoria promovidas por monitores ou administradores de telecentro e donos de lan houses.O Prêmio é uma iniciativa para reconhecer ações que mudaram a vida pessoal ou profissional de freqüentadores, bem como ações de melhoria promovidas por monitores ou administradores de telecentro e donos de lan houses.Até o dia 1º de março é possível fazer inscrição gratuitamente em quatro categorias no site do Prêmio:

http://www.conexaocultura.org.br/premio Serão 12 finalistas premiados em evento comemorativo. O projeto dará notebooks para os primeiros lugares de cada uma das categorias. As demais colocações receberão câmeras digitais e celulares.Conexão CulturaEm atividade desde o início de 2009, o Projeto Conexão disponibiliza aos usuários de lan house e telecentros um aplicativo em forma de barra que é instalado no navegador e fornece conteúdo qualificado, como cursos profissionalizantes, serviços governamentais e apoio escolar. Para saber mais sobre o projeto Conexão Cultura, acesse: http://www.conexaocultura.org.br

INSCREVA-SE NAS CONFERENCIAS SETORIAIS DE CULTURA

Para se inscrever basta clicar na imagem abaixo, preencher o formulário e enviar os documentos pedidos aqui.

O QUE SÃO AS PRÉ-CONFERÊNCIAS DE CULTURA?

As Pré-Conferências Setoriais de Cultura têm caráter mobilizador, reflexivo, propositivo e eletivo. São instâncias de articulação local e regional de agentes culturais de cada uma das áreas artísticas e de patrimônio envolvidas, sendo parte do processo da II Conferência Nacional de Cultura (II CNC).

Como o próprio nome diz são pré-conferencias, portanto não encerra em si todo o conteúdo de discussão das áreas artístico-culturais e de patrimônio. Constituindo-se como espaço de contribuição na formulação das estratégias para as políticas públicas nacionais com foco no temário da II CNC e como etapa de constituição de uma rede de discussão que posteriormente será fundamental na realização das Conferencias Setoriais definidas no Plano Nacional de Cultura (PNC).

QUAIS OS OBJETIVOS ESPECÍFICOS?

Promover o debate e a reflexão valorizando a complexidade e a diversificação de atividades em cada um dos campos setoriais.

Debater e encaminhar propostas para as políticas públicas de cultura e as políticas setoriais específica para cada um dos segmentos envolvidos no processo, de forma a contribuir com a formulação dos Planos Nacionais Setoriais.

Eleger os 200 delegados setoriais para a plenária geral da II CNC.

Instalar os colégios eleitorais setoriais, responsáveis pela eleição dos membros dos Colegiados Setoriais e pela elaboração de listas tríplices com indicação de nomes que comporão a representação setorial do Plenário do CNPC.
Eleger os membros dos Colegiados Setoriais constituídos no âmbito do CNPC para o exercício do mandato referente ao biênio 2010/2011.

QUAIS AS ÁREAS ARTISTICO-CULTURAIS E DE PATRIMÔNIO QUE REALIZARÃO PRÉ-CONFERÊNCIAS SETORIAIS?

Serão realizadas Pré-Conferências Setoriais de Cultura para áreas técnico-artísticas e de patrimônio com assento no Plenário do CNPC, a saber: dança, circo, teatro, música, artes visuais, livro e leitura, culturas afro-brasileiras, culturas dos povos indígenas, culturas populares, audiovisual, arte digital, arquivos, museus, patrimônio material, patrimônio imaterial, arquitetura, moda, design e artesanato.