EDITAIS DA SECULT

Programa de Preservação de Acervos do BNDES

O Programa de Preservação de Acervos 2010/2011 do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) contará com recursos não reembolsáveis, oriundos do fundo cultural da instituição, no valor de R$ 24 milhões. O anúncio foi feito hoje (17) pelo banco, que elevou a dotação para o programa, anteriormente de R$ 8 milhões, informou a assessoria do BNDES.

Poderão se candidatar ao edital projetos de preservação de acervos arquivísticos, bibliográficos e museológicos. O superintendente da Área Industrial do BNDES, Julio Ramundo, destacou a abrangência dessas ações, na medida em que surtem efeito sobre toda a cadeia da economia da cultura.

Catalogação, higienização e acondicionamento, restauração e instalação de sistemas de segurança são alguns dos objetivos que os projetos podem apresentar. A partir dessa edição do programa, o BNDES decidiu incluir também a categoria de visitação para o apoio financeiro.

Essa nova categoria prevê ações para valorização do turismo, envolvendo, por exemplo, a capacitação de profissionais, elaboração e impressão de guias, inovação de técnicas expositivas.

Os projetos poderão ser admitidos em duas modalidades: individual e âncora, com o objetivo de ampliar as possibilidades de apoio. Ou seja, poderão concorrer propostas referentes a um único acervo ou a vários acervos aglutinados por um elemento comum. Os projetos individuais terão recursos limitados a R$ 1 milhão cada, enquanto os projetos âncora receberão aporte de R$ 5 milhões cada.

A chefe do Departamento de Cultura, Entretenimento e Turismo do BNDES, Luciane Gorgulho, observou que as mudanças introduzidas no edital objetivam ampliar o alcance do apoio do banco, permitindo que seus efeitos sejam mais significativos.

Desde que foi criado, em 2004, o Programa de Preservação de Acervos do BNDES apoiou 123 projetos, que propiciaram investimentos de cerca de R$ 24 milhões, informou a assessoria do banco.

VIII Semana de Museus tem vasta programação na Bahia

Entre os dias 17 e 23 de maio, a Bahia recebe uma programação especial para a VIII Semana de Museus, que, este ano, traz o tema Museus para a Harmonia Social. As ações propostas pelo Ministério da Cultura, através do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), lembram o 18 de Maio – Dia Internacional de Museus. Mais de 40 instituições, da capital e do interior, foram mobilizadas possibilitando a criação de uma rede de ações em torno do evento, que é de âmbito nacional.
Entre as ações da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Dimus/IPAC) está a publicação de um guia, que terá distribuição gratuita, com a programação de todas as instituições baianas que aderiram à Semana Nacional, além da ampliação, em dez horas, dos horários de funcionamento dos museus de Salvador ligados à diretoria: Centro Cultural Solar Ferrão, Museu da Cerâmica Udo Knoff, Museu Tempostal e Palácio da Aclamação.
Há, também, o projeto Roteiro de Museus, que oferece ao público, na capital, transporte gratuito, conectando os principais hotéis entre o bairro do Rio Vermelho e o Centro Antigo e museus desse percurso, durante todo o evento. O tour cultural, implantado, a primeira vez, em 2009, será promovido de 18 a 23 de maio, de terça a quinta e domingo, das 10 às 18h, e sexta e sábado, das 9 às 20 horas.
Entre as exposições que poderão ser contempladas, também a partir do Roteiro de Museus, podemos destacar: Roteiro para Visitação, de Carlito Carvalhosa (Palácio da Aclamação, Campo Grande), Auguste Rodin, Homem e Gênio e Eternamente Agora – Um Tributo a Mario Cravo Neto (Palacete das Artes, Graça) e Panáfrica (Centro Cultural Solar Ferrão, Pelourinho).
Durante as comemorações, será inaugurada, no Museu da Cerâmica Udo Knoff (Pelourinho), a mostra Agdás Urbanos na Contemporaneidade, do grafiteiro baiano Denissena, dia 20 de maio, às 19h. Também, no Museu de Arte da Bahia (MAB), será relançado o livro Museus para o Povo, de José Valladares, antigo diretor do museu, além de aberta a exposição Reencontrar José Valladares – O mestre, dia 18, às 18 horas.

Museus na nova gestão – Os eventos da Semana Nacional de Museus reforçam as ações da Dimus, que busca, cada vez mais, uma socialização dos espaços museais. Entre os anos de 2007 e 2009, os Museus do IPAC receberam, aproximadamente, 743 mil pessoas, resultando em um aumento de 190, 64% de visitantes, no comparativo entre o primeiro ano de gestão até aqui. Contribuindo com a nova realidade, destacam-se o Centro Cultural Solar Ferrão, os Museus Tempostal, Udo Knoff e Palácio da Aclamação, todos administrados pela Dimus, que tiveram, no mesmo período, 70% a mais de visitas. O Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA), que teve um dos aumentos de público mais expressivo, recebeu, em 2007, 80 mil pessoas. Dois anos depois, já eram 375 mil. “O aumento do público está relacionado diretamente com a ampliação do conceito de museu como espaço relacional e a realização crescente de atividades de dinamização e de inúmeras exposições, que são fruto de um maior investimento do Governo e da Secretaria de Cultura no setor”, diz o diretor de Museus do IPAC, Daniel Rangel.

Para tais resultados, além da ampliação dos horários de funcionamento, que passaram de 20 para 40 horas semanais, desde 2007, inclusive com abertura para visitação nos finais de semanas e feriados, os espaços expositivos ligados ao IPAC apostaram, ainda, em montagens de relevância internacional, como a coletiva de angolanos Luanda – Suave e Frenética 1, no Centro Cultural Solar Ferrão (Pelourinho, Salvador), Auguste Rodin – Homem e Gênio, com 62 esculturas originais em gesso do renomado Auguste Rodin, no Palacete das Artes Rodin Bahia (Graça, Salvador), e Cuide de Você, da artista francesa Sophie Calle, no MAM-BA (Av. Contorno, Salvador), todas em 2009.

Semana Nacional de Museus – Desde a sua primeira edição, em 2003, quando o MinC estabeleceu uma política nacional para o setor, a Semana Nacional de Museus já divulgou a programação de 2.445 instituições museológicas, envolvendo 7.473 eventos. A ação, que tenta mobilizar os espaços para intensificar a relação com a sociedade, faz parte da agenda de atividades permanentes do Ibram/MinC.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO EVENTO:
www.ipac.ba.gov.br
dimusbahia.wordpress.com/semana-de-museus/

SECULT ANUNCIA 18 EDITAIS

A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia – SecultBA, através do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural – IPAC, do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia – IRDEB, da Fundação Cultural do Estado da Bahia – FUNCEB, da Fundação Pedro Calmon – FPC, e do Núcleo de Culturas Populares e Identitárias, lança os Editais 2010 que vão dar apoio a cerca de 180 projetos culturais nos diversos territórios de identidade do estado. A partir de terça-feira (10/05/2010), os textos e formulários de inscrição estarão disponíveis nos sites de todas as unidades da SecultBA.

Para o secretário de Cultura do Estado Márcio Meirelles, as seleções públicas são uma forma transparente e democrática de seleção. “É evidente o aumento de projetos apoiados em todo o estado desde que adotamos esse sistema”, declara o secretário. “Temos alguns desafios pela frente, até porque foram apenas três anos para implementar uma política pública nova para a máquina pública do nosso estado e relativamente nova no Brasil, mas o Ministério que já está na labuta há oito anos, mostra que a afinação é uma questão de tempo”, completa Meirelles.

Ao todo serão lançados 18 editais nas áreas de apoio às linguagens artísticas, com destaque para um edital de apoio ao Circo, museus e patrimônio, audiovisual, residência artística, intercâmbio, livro, LGBT e Cultura Negra, entre outros. O total de investimentos, através do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, é da ordem de R$ 9 milhões.

Para o diretor geral do Ipac, Frederico Mendonça, a criação inédita na Bahia de editais para a área de Patrimônio Cultural e Museus integra a política pública de Cultura que vem sendo implantada desde 2007 pela SecultBA. “Esta política, atende antiga reivindicação de profissionais, governos municipais e outras instâncias da sociedade para com a salvaguarda e preservação dos bens culturais, materiais e imateriais, e para os espaços museais com investimentos diretos em áreas onde a única alternativa era o Fazcultura. Com o Fundo de Cultura hoje temos mais opções”, explica o diretor. “Até agora, o IPAC já lançou seis editais para o conjunto das áreas de Patrimônio, Museus e atividades culturais no Pelourinho, totalizando investimento de cerca de R$ 5,6 milhões do Fundo de Cultura da Bahia, para apoio a 81 projetos da sociedade civil”, completa Frederico.

Para a diretora da Funceb, Gisele Nussbaumer, os editais reforçam a política de descentralização e distribuição de recursos para uma ampla diversidade de linguagens artísticas. “De 2007 até agora, a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, através da Fundação Cultural, investiu mais de R$ 10 milhões em mais de 40 editais de fomento à produção, desenvolvimento e difusão das Artes Visuais, Dança, Música e Teatro na Bahia, possibilitando a execução de mais de 400 projetos”, explica a diretora.

Desde o início das seleções públicas, em 2007, o Governo do Estado da Bahia já lançou 98 editais de apoio às linguagens artísticas, tendo recebido 5.614 inscrições de projetos de todo o estado e apoiado 1.285 iniciativas. Um dos destaques desses investimentos são as ações em Literatura, Livro e Leitura realizadas pela Fundação Pedro Calmon. “O edital de apoio à publicação de obras de autores baianos é destinado à fortalecer o mercado editorial da Bahia, formado por escritores de qualidade reconhecida, editoras que buscam a profissionalização e leitores ávidos por boa literatura”, explica o diretor geral da Fundação Pedro Calmon, Ubiratan Castro de Araújo.

Ele afirma ainda a importância da política pública de editais. “A política de editais é um processo democrático por permitir o acesso de todos os cidadãos, de forma republicana. Outro aspecto positivo é que os méritos dos projetos são garantidos pela avaliação criteriosa de comissões julgadoras formadas por especialistas e representantes da sociedade civil”, explica o diretor.

Quem também explica a importância da política é o diretor geral do IRDEB, Póla Ribeiro “A importância básica do edital para a cultura é seu funcionamento como uma ferramenta de grau elevado de transparência para a sociedade, o que possibilita dar oportunidade igual, com regras claras, para todos agentes culturais. O edital é feito pelo Estado, mas é validado pelas comissões julgadoras formadas por membros da sociedade” explica o diretor.

Como se inscrever – Basta acessar o site da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia – SecultBA www.cultura.ba.gov.br ou das unidades vinculadas para baixar e preencher os formulários, providenciar os documentos, e entregar no prazo estabelecido por cada unidade gerenciadora, cumprindo o regulamento específico em cada edital. Para se inscrever, basta ser pessoa física ou jurídica, maior de 18 anos, residente no estado da Bahia há pelo menos 3 anos.

Veja os editais da Secretaria de Cultura do Estado e seus valores:

Secretaria de Cultura

Apoio à Projetos de ações continuadas de instituições culturais – R$ 1,5 milhão (12 projetos)

Montagem de Espetáculo Teatro no âmbito do convênio France Libertés– R$ 100 mil (1 projeto)

www.cultura.ba.gov.br

Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia – Irdeb

Desenvolvimento de Roteiros – R$ 225 mil (15 projetos)

Curta Metragem – R$ 225 mil (3 projetos)

Festivais e Mostras – R$ 320 mil (6 projetos)

Programa de Rádio – R$ 130 mil (2 projetos)

www.irdeb.ba.gov.br

Fundação Cultural do Estado da Bahia – Funceb

Apoio a Circo – R$ 285 mil (12 projetos)

Grupos Artísticos – R$ 1,23 milhões (18 projetos)*

Produção Dramatúrgica  – R$ 90 mil (6 projetos)

Montagem Espetáculo de Dança – R$ 720 mil (10 projetos)

Montagem Espetáculo de Teatro – R$ 720 mil (10 projetos)

Montagem de Exposição de Artes Visuais – R$ 480 mil (11 projetos)

Circulação de Espetáculos Musicais – R$ 540 mil (9 projetos)

www.funceb.ba.gov.br

*Lançamaneto até final de maio

Insituto de Patrimônio Artístico e Cultural – IPAC

Dinamização de Museus –– R$ 500 mil (13 projetos)

Valorização de Patrimônio –– R$ 260 mil (10 projetos)

www.ipac.ba.gov.br

Fundação Pedro Calmon – FPC

Edição de Livros Autores Baianos – R$ 375 mil (15 projetos)

www.fpc.ba.gov.br

Núcleo de Culturas Populares e Identitárias

Cultura Negra – R$ 300 mil (7 projetos)

LGBT – R$ 250 mil – (6 projetos)

www.cultura.ba.gov.br

Veja os editais já lançados pela Secretaria de Cultura do Estado

Residência Artística – R$ 90 mil (6 projetos)*

Difusão e Intercâmbio – R$ 240 mil (16 projetos)*

www.cultura.ba.gov.br

*Formato de calendário de apoio

Desde 2007 a Secretaria de Cultura vem diversificando os mecanismos de fomento à cultura da Bahia. Hoje, além do Fazcultura, existente desde 1997, é possível apoio a iniciativas culturais através do Fundo de Cultura, do calendário de apoios da Fundação Cultural ou do Microcrédito Cultural. Neste semestre será implantado também, em parceria com o Desenbahia, linha de crédito para o setor produtivo.

INSCREVA-SE NAS CONFERENCIAS SETORIAIS DE CULTURA

Para se inscrever basta clicar na imagem abaixo, preencher o formulário e enviar os documentos pedidos aqui.

O QUE SÃO AS PRÉ-CONFERÊNCIAS DE CULTURA?

As Pré-Conferências Setoriais de Cultura têm caráter mobilizador, reflexivo, propositivo e eletivo. São instâncias de articulação local e regional de agentes culturais de cada uma das áreas artísticas e de patrimônio envolvidas, sendo parte do processo da II Conferência Nacional de Cultura (II CNC).

Como o próprio nome diz são pré-conferencias, portanto não encerra em si todo o conteúdo de discussão das áreas artístico-culturais e de patrimônio. Constituindo-se como espaço de contribuição na formulação das estratégias para as políticas públicas nacionais com foco no temário da II CNC e como etapa de constituição de uma rede de discussão que posteriormente será fundamental na realização das Conferencias Setoriais definidas no Plano Nacional de Cultura (PNC).

QUAIS OS OBJETIVOS ESPECÍFICOS?

Promover o debate e a reflexão valorizando a complexidade e a diversificação de atividades em cada um dos campos setoriais.

Debater e encaminhar propostas para as políticas públicas de cultura e as políticas setoriais específica para cada um dos segmentos envolvidos no processo, de forma a contribuir com a formulação dos Planos Nacionais Setoriais.

Eleger os 200 delegados setoriais para a plenária geral da II CNC.

Instalar os colégios eleitorais setoriais, responsáveis pela eleição dos membros dos Colegiados Setoriais e pela elaboração de listas tríplices com indicação de nomes que comporão a representação setorial do Plenário do CNPC.
Eleger os membros dos Colegiados Setoriais constituídos no âmbito do CNPC para o exercício do mandato referente ao biênio 2010/2011.

QUAIS AS ÁREAS ARTISTICO-CULTURAIS E DE PATRIMÔNIO QUE REALIZARÃO PRÉ-CONFERÊNCIAS SETORIAIS?

Serão realizadas Pré-Conferências Setoriais de Cultura para áreas técnico-artísticas e de patrimônio com assento no Plenário do CNPC, a saber: dança, circo, teatro, música, artes visuais, livro e leitura, culturas afro-brasileiras, culturas dos povos indígenas, culturas populares, audiovisual, arte digital, arquivos, museus, patrimônio material, patrimônio imaterial, arquitetura, moda, design e artesanato.

Viva a Independência hoje, que amanhã tem videoconferência!

07-09